Vale do Silício -1o Dia – Mindset

Posted by

Eu fui para o Vale do Silício com um grupo de 100 pessoas, organizado pela @Startse. Eramos executivos, empresários, empreendedores e investidores, convivendo todos juntos por 5 dias (alguns ficaram mais tempo junto comigo) das 7:00 às 22:00 e com um único objetivo: entender por que o Vale do Silício é a região mais empreendedora do mundo! 

A troca de experiência só com o grupo já foi riquíssima, pessoas de diversas idades, lugares, culturas e vivências. Já estávamos descobrindo os segredos do Vale do Silício sem saber.

Iniciamos nosso primeiro dia na Plug&Play que é considerada a maior aceleradoras do mundo! Eles tem um ecossistema incrível e além de acelerar startups, conectam elas com as grandes empresas. São mais de 400 empresas em seus 22 escritórios espalhadas pelos mundo. Possui 3 unicórnios no portfólio as mais conhecidas são Paypal e Dropbox.

Algumas empresas tem mesa aqui para acompanhar de perto o que está acontecendo no Vale e interagir com essas startups, o BB e a Porto Seguro são exemplos. Estar aqui imerso neste centro de inovação, certamente trás uma vantagem competitiva enorme!

Na parte da manhã tivemos uma aula sobre a história do Vale do Silício, com Felipe Lamounier e Mauricio Benvenutti. Tudo começa com a corrida do ouro em 1849, os mineradores não prosperam, mas o ecossistema que dava apoio a eles (comida, vestuário, hospedagem e etc) cresce muito! E com isso imigrantes de todas as partes do mundo tomam conta do local.

Saltando no tempo, a região passou por diversos movimentos como Free Speech Movement (FSM) liderado por estudantes da universidade de Berkley nos anos 60’s, os hippies, a Parada de São Francisco que vai além do apoio às comunidades LGBTs, é um movimento que apoia a diversidade como um todo (crenças, raças, religiões, cultura e ideais).

A primeira startup do Vale do Silício ou Bay Area, como preferem os locais, foi a Hewlett-Packard ou HP para os íntimos, foi criada por 2 dos 8 engenheiros conhecidos como os 8 traidores nesta garagem da foto acima.

A corrida para colocar o primeiro homem na lua foi outro fator que influenciou muito o surgimento e crescimento de empresas de tecnologia no Vale. E claro, ouvimos como surgiram empresas como Google, Apple, Facebook, Tesla e de seus crescimentos exponenciais.

Tudo gira em torno da diversidade (de todos os tipos) e com isso criou-se uma mentalidade muito diferente, inclusive dos demais estados americanos. Hoje 15% da população dos USA é de estrangeiros, em São Francisco (que tem 800mil habitantes) esse % sobe para 51%. É muita gente pensando diferente, mas com objetivo comum: transformar o mundo!

De tarde tivemos palestras com dois empreendedores brasileiros, Paulo Martins CEO da Arena.im que falou da importância de agir rápido e ser resiliente: na validação da ideia, na busca pelo time, em encontrar investidores, para vencer!

“Inovação acontece quando você se move tão rápido, que seus competidores não veem seus fracassos.”

Depois ouvimos a PHD Carolina Oliveira CEO da Oneskin contar como fundou uma startup de biotecnologia que desenvolve pele humana a partir de células tronco, a grande diferença é que eles conseguem envelhecer essa pele e depois aplicar produtos para rejuvenecê-la (atualmente as empresas testam em peles novas, o que não faz muito sentido por que rejuvenescer algo novo não mostra resultado). É um orgulho ver brasileiros trabalhando com tecnologia de ponta, por outro lado, é triste constatar que foi preciso sair do país para fazer acontecer!

No fim da tarde, fomos para outra aceleradora a GVS, onde a Embraer está desenvolvendo um carro voador😱. Lá tivemos apresentação com a empreendedora serial e escritora do livro Decodificando o Vale do Silício Michelle Messina dando uma aula sobre o mindset do vale, de como o ecossistema é único no mundo e muda constantemente, aliás esta é talvez uma das únicas certezas no vale 😉.

Certamente há muitos exageros circulando sobre o sucesso que saem daqui, os famosos unicórnios, mas uma coisa é certa: não existe sucesso sem muito trabalho, manter uma rede de relacionamentos é muito importante, assim como ter mentores e conselheiros ao seu lado.

No Vale, confiança, compartilhamento de ideias, transparência e saber ouvir são atributos essenciais.

As incertezas são normais e ideais não valem nada! Execução é tudo!💪👊

Pra finalizar, uma apresentação com o mestre Cristiano Kruel sobre nova economia e como a inovação está no limite das leis (governamentais e de mercado), se um serviço não te atende, mude, se não tem opção (existe uma dor) crie (e resolva o problema). As ex-maioresempresas estão aí para nos mostrar que quem não olha para o que está acontecendo a sua volta, é atropelado pelos novos entrantes (incumbentes vs insurgentes).

E por último, mas não menos importante Kruel nos deu uma aula das etapas de construção de uma startup, para que pudéssemos começar a trabalhar no problem-fit. #GSD (Get the Shit Done)!!!

Nossa equipe que até então se chamava NVIDIA, passa a se chamar coruja digital porque todos não só gostaram do projeto, mas num ato de solidariedade me apoiaram e incentivaram a testar e validar os conceitos por trás desta startup que é um sonho meu já de algum tempo.

Muito obrigado!!! Olga Cohen, Ana Carolina Grings, Guilherme Bertazo, José de Almeida Barreto e Renan Cappi vocês foram sensacionais!!! 👊🤟👍👏

E esse foi só o 1o dia!!!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *